Redes Colaborativas

A Rede Colaborativa BIP/ZIP, é hoje uma realidade, uma expressão viva de participação cidadã.

Esta visão de cidade manifesta uma vontade coletiva e individual geradora de fortes identidades e ecossistemas como espaços de conexão transformadora.

Deste novo ecossistema de entidades da cidade surge, de forma orgânica e sináptica, um processo cooperativo e federativo das respostas de desenvolvimento local que tem como principal exemplo a Associação Rede Desenvolvimento Local de Base Comunitária (DLBC) que agrega mais de 170 associados, constituindo-se como um ator relevante da cidade na promoção de capacitação, programação, iniciativas e investimento que contribuam para a melhoria da qualidade de vida das comunidades dos territórios prioritários de Lisboa.

A dimensão da colaboração ativa com a Academia é pilar para o processo de aprendizagem e construção coletiva de cidade a partir de cada comunidade. O envolvimento dos habitantes na definição do espaço público e comunitário, e consequente melhoria das condições de vida, leva a um desenvolvimento de inteligência coletiva crítica e, naturalmente, as instituições municipais adaptam-se, criando mecanismos pró-ativos de participação, avaliação e codecisão.

A parceria Municipal com o IPPS-ISCTE e a Ass. dos Arquitectos Sem Fronteiras no desenho e implementação do Curso de Especialização em Territórios Colaborativos é disso expoente.

As Plataformas de cooperação e partilha são hoje essencias na democratização do acesso à informação e conhecimento, e por isso suportes para uma participação mais efectiva. A Plataforma Fórum Urbano, surge em 2018 como projecto BIP/ZIP realizado em parceria entre a Faculdade de Arquitectura da Universidade de Lisboa, a Universidade Autónoma e a Ass. LOCALS. Este projecto "Fórum Urbano consistiu na criação de uma plataforma de partilha focada no ‘universo BIP/ZIP’, articulada à escala da cidade. Propôs-se criar uma existência digital (plataforma online) mas também uma existência física, através de uma exposição, acompanhada por momentos de discussão conjunta, workshops de capacitação e dois ‘Fóruns’. O projeto condensou esta experiência num manual de ferramentas de co-criação de projetos de desenvolvimento local de base comunitária, que tomou a forma de um jogo de ideias."

É também exemplo da dimensão da Rede Colaborativa da Estratégia de Desenvolvimento Local BIP/ZIP a sua vertente de Boa Prática Europeia assumida no projecto de Rede de Transferência Urbact - Com.Unity.Lab. Esta Rede Europeia está centrada em processo de partilhada e de aprendizagem mútua com mais sete cidades europeias em que quiseram connosco partilhar e desenvolver este conceito de participação e cidadania.